Elísio da Nova:100 anos depois

No dia 14 de outubro, domingo, o Município da Póvoa de Varzim vai evocar o herói poveiro Elísio da Nova.

Às 15h00, vai realizar-se o descerramento do restauro das medalhas e deposição de uma coroa de flores no monumento a Elísio da Nova, no Largo com o mesmo nome.

No Museu Municipal, às 16h00, terá lugar a Conferência “Elísio da Nova, o herói poveiro da Grande Guerra. No centenário da sua morte em combate”, pelo Comandante José António Rodrigues Pereira.

E deste modo, o Município evoca, cem anos depois, a coragem e abnegação do poveiro Elísio da Nova, marinheiro telegrafista, que não vacilou no cumprimento da sua missão em plena I Guerra Mundial.

No dia 14 de outubro de 1918 a embarcação “Augusto de Castilho”, um arrastão da pesca do bacalhau convertido em vaso de guerra, com duas pequenas peças de artilharia, acompanhava o paquete S. Miguel, do Funchal para Ponta Delgada. Do fundo do oceano surgiu o U-139, um dos mais modernos e mortíferos submersíveis da marinha alemã que tentou atacar o paquete.

Com uma coragem inaudita o comandante Carvalho de Araújo lança-se no ataque ao submarino com as suas pequenas peças. No posto de telegrafista o jovem poveiro Elísio da Nova pede ajuda sem parar, alertando para o perigo da presença do submarino. Cientes desde facto os alemães tratam de atingir a ponte do navio onde se encontrava o posto de TSF, ferindo mortalmente Elísio da Nova.

(Fonte: CMPV)

Elísio da Nova:100 anos depois

Noticias |